A DOR CRÔNICA E SUA LÓGICA

É importante entender a lógica das “dores crônicas”. A princípio, destacamos que toda dor pode ser considerada crônica, já que não existe uma regra exata para defini-la. Mas é importante considerar as seguintes características:

 

CARACTERÍSTICAS

 


TEMPO: O primeiro que devemos considerar é o tempo em que a dor apareceu e, embora não exista um parâmetro estabelecido, podemos dizer que UM ANO com dor já é um bom critério.


OUTRAS PATOLOGIAS: Sempre que existe uma dor é importante consultar o médico e seguir as indicações que sejam dadas com relação a exames, consultas com outras especialidades (neurologista, traumatologista, etc.). Uma vez que são descartadas através dos exames as possibilidades de tratar-se de uma patologia “visível”, então é possível definir como algumas das “dores crônicas”.

 

 

 

QUANDO NOS DIAGNOSTICAM UMA DOR CRÔNICA


Depois de ter realizado todos os exames com o clínico e especialistas indicados e caso não sejam encontrados parâmetros normais neles, é provável que algum médico diagnostiquem alguma dor crônica como: ENXAQUECA, MIGRÂNEA, ESTRESSE, DOR DE CABEÇA TENSIONAL, LABIRINTITE, FIBROMIALGIA, SÍNDROME DE MENIER, L.E.R. (Lesão por Esforço Repetitivo), etc.

A partir desse momento estamos em um beco sem saída. Temos que aprender a conviver com estas dores e consumir medicamentos para aliviar os sintomas. Estamos destinados a perder nossa qualidade de vida, a continuar sofrendo e que nosso entorno sofra também. É habitual sentir que ninguém entende o que estamos passando.

 

Com os anos, essas dores podem levar-nos a continuar realizando consultas, alguns de nós podemos ter sido encaminhados a psiquiatras que nos medicam com ansiolíticos e antidepressivos, porque conviver com tantos anos de dor e todo o impacto que ela tem em nossas vidas nos levou a um estado similar ao de uma depressão.


O QUE PODEMOS FAZER PARA SAIR DESTE CÍRCULO DE DOR


Depois de mais de 10 anos de pesquisa e mais de 300 pacientes tratados com sucesso, descobrimos que na maioria dos casos estas dores originaram-se a partir de contraturas musculares. É pouco comum, e esperamos que não continue sendo no futuro, que um médico clínico nos toque a musculatura para realizar um diagnóstico.

 

Os músculos compreendem mais de 40% do peso corporal.

 

Esta descoberta nos permitiu tratar as causas dessas contraturas musculares e, conseqüentemente, reduzir e eliminar essas dores e os sintomas associados às “dores crônicas” sem ter que tomar mais medicamentos e recuperando a qualidade de vida.

 

Demos o nome a essa descoberta segundo costumam denominar todas as síndromes, com o sobrenome de quem a descobriu, neste caso o Dr. Miguel Ángel Siderman.

 

Hoje, a SÍNDROME DE SIDERMAN conta com um protocolo de diagnóstico e um tratamento de cura. Caso seu médico não conheça nada sobre a Síndrome de Siderman, peça a ele que se informe, queremos que todos que sofrem destas “dores crônicas” (aproximadamente 20% da população ocidental) possam deixar de sofrer. De qualquer maneira, também podem entrar em contato com a gente através da nossa clínica ou através dessa página, bem como contar seu caso para que vejamos a melhor forma de ajudá-lo a deixar de sofrer.

 

Sugerimos que vejam os depoimentos de pacientes que, como você, sofreram de dores crônicas. Gentilmente, dividem o que sofreram, suas histórias clínicas e como se sentem hoje.

 

Conte seu caso

Nome:
e-mail:

Telefones:

Sintomatologia:

Información de Contacto


Para marcar uma consulta na Clínica do Dr. Siderman no Brasil, ligue de Segunda a Sexta das 15 às 17 horas para o DDD 55 Número 3412-2541.

 

No momento não estamos respondendo emails, qualquer consulta somente por telefone. Obrigado!

 

Elija Idioma: Português Español